WhatsApp
Antes do Fivefingers, comece com isto

Antes do Fivefingers, comece com isto

O que aconteceu ao Miguel pode acontecer a qualquer pessoa, incluindo tu, porque o que tu queres é uma coisa e o que tu precisas é outra.

Veja.

Miguel chega à loja com a sua mulher.

O Miguel é um homem de meia-idade, de constituição jovem e cabelo totalmente branco.

A mulher estava vestida com um par de botas com um pouco de salto, mas ele vinha da oficina, de fato-macaco e botas de caminhada robustas que usava como botas de segurança.

Falaram-lhe das Fivefingers e quer umas para o ginásio, para o ajudar a endireitar os dedos dos pés.

Quando tira as meias, não são as unhas dos pés, mas as unhas das mãos que estão no chão. Ele tinha os dedos dos pés com garras, como um harrier.

Quando vi aquilo, disse para comigo: "Bem, não lhe vou tirar o desejo de ter o Five Fingers, deixo-o experimentar".

Passado algum tempo, colocando cada dedo no seu lugar, acaba de os calçar, mas na zona dos dedos o tecido estava apertado, fazendo pequenas montanhas e os dedos não esticavam. Continuavam curvados.

As Fivefingers ficavam-lhe muito mal, mas ele estava convencido e disse: "Bem, elas vão melhorar sozinhas".

Mas eu disse-lhe que não, que era melhor começar com outras, porque, entre outras coisas, elas partiam-se muito depressa.

Por isso, recomendei-lhe meias para os dedos dos pés, para que pudesse exercitar os dedos dos pés só de os calçar, e botas de segurança minimalistas.

Botas de segurança minimalistas? Isso existe? Vamos lá ver, explica-me isso" - diz o Miguel.


Tiro um par de Birkenstocks e, enquanto tiro as palmilhas, explico:


"Olha, estas botas têm uma biqueira larga, não são estreitas como as que tu tens, e têm uma biqueira de aço, para que cumpram corretamente com a segurança.

E são planas, porque se tiverem uma elevação traseira, a pressão vai para os dedos dos pés, que neste momento estão em garra."


Ele experimenta-as e diz:

"Oiçam-me, gosto mais destas. Além disso, uso botas de segurança todo o dia e só vou ao ginásio três vezes. Vou tirar mais partido disto" - diz ele.

Bingo.

Ele próprio chegou a essa conclusão.

O importante é usar sapatos minimalistas durante o máximo de tempo possível.

Tirar mais partido disso, é disso que se trata.

E o Miguel passa muitas horas com as botas de segurança, dentro e fora do trabalho.

Quando ele estava a sair, tivemos a seguinte conversa:

"Miguel, não quero tirar-te o desejo de ter as Fivefingers, mas da maneira como os teus dedos dos pés estão agora, nem sequer te servem.

Não, não, eu sou como tu. Por vezes, as pessoas vêm à oficina e eu tenho de recomendar outra ideia que não aquela que trazem. Nesse sentido, estou contigo, ajudaste-me a fazer a escolha certa para começar".


Porque vamos dar uma olhadela.

Na vida não é tudo, vá lá, eu quero e uso, e aguento mesmo que me doa, porque acho que se aguentar a dor vou ficar bom.

Não é assim com os pés.

Se dói, muda a opção e começa devagar.

A mudança do Miguel foi meias de dedo do pé e botas minimalistas QS700 com o mais alto nível de segurança.

A saúde começa nos pés.

António Caballo

Pd. Sem dúvida que Miguel precisa de um corretor de dedos dos pés, mas há-de lá chegar, por agora vai começar a dar mais espaço, flexibilidade e equilíbrio aos seus pés.

Publicado el 2024-02-03 por @antonio.caballo Dedos de garra, dedos dos..., Calçado para pés largos ou... 0 1696

Dejar un ComentarioDejar una respuesta

Debes estar logueado para publicar un comentario.

Últimos Comentarios

Buscar contenido en el Blog

Prev
Next